quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Medo do que?

Estava pensando um destes dias, porque ainda com geladeira em TODAS as casas..comida fresca no super mercado ou quitanda, feira de final de semana e em qualquer padaria de esquina onde se vendem tantos alimentos frescos...temos que consumir tanto alimento embalado? Falta de consciência, necessidade ou medo?
Medo do que? cabe lembrar que após as últimas grandes guerras aumentou a produção de esse tipo de alimentos...e um medo intrínseco, que até muitas vezes é desconhecido...já parei para pensar antes de comprar...porque comprou isso...com que finalidade..meu corpo realmente precisa? e praticidade? e costume?..ou é falta de fé? falta de fé no criador que me fornece os alimentos COMPLETOS cada dia..na capacidade de produção de alimento de nossa amada gaia (planeta terra). Um dia estava conversando com a prof. Ana Branco, do projecto Bio chip, e estava numa feira orgânica..e me dizia uma coisa bem certa...que a pesar de vender o leite de soja orgânico como um produto bom, ele está em tetrapack, e por isso ele fomenta a guerra ...tem toda uma potente estrutura por trás...um gasto de energia, matéria prima e produtos que afectam de modo drástico nosso meio ambiente....a pergunta é: porque não consumimos o que a natureza nos dá? assim de simples já que vou comprar um produto embalado orgânico, melhor que seja 100% orgânico (incluindo embalagem orgânica, ou seja natural).....E não quero ser idealista ou sonhadora...será que não haverá o suficiente para todos? que tal se começamos a plantar no nosso jardim, nos telhados dos edifícios? nos parques abandonados?...tem tanto por fazer (e de fato já estão rolando alguns projetos de agricultura urbana)..mais se pode começar por pequeno...comer uma maça ou uma banana em vez de um pacote de bolacha ou uma barrinha de cereais...ou até algum produto feito por nos mesmos...alem de ser mais saudável para o corpo, não estaremos colaborando com esta guerra da Industria de alimentos com a natureza e suas nefastas consecuencias como a extracção de materiais naturais para embalagem e a posterior degradação que terá, e sobretudo não estaremos alimentando os bolsos das grandes industrias para continuar neste circulo vicioso.
Lembrando que quem agradece e nosso amado planeta.
Namastê

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Um chamado de alerta!

Vou postar um chamado muito especial feito pelo secretario da ONU Ban Ki-moon, com respeito ao DESASTRE que a nossa falta de consciência para com nosso querido planeta está fazendo. Espero possam com partilhar com outras pessoas. Um grande abraço ecológico!

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - Os países do mundo estão levando suas economias naturais à falência e precisam tomar medidas ousadas para reverter as perdas de biodiversidade causadas pela poluição, o desflorestamento e as mudanças climáticas.
Em uma minicúpula dedicada à questão, Ban disse que o mundo não conseguirá alcançar uma meta de 2010 de "reduzir significativamente" as perdas de biodiversidade.
"A crise financeira do ano passado foi um chamado de despertar para os governos com relação ao perigo de deixarem de regulamentar e controlar relacionamentos complexos que afectam a todos nós. A crise da biodiversidade não é diferente", disse Ban.
"Estamos levando nossa economia natural à falência. Precisamos montar um pacote de socorro antes que seja tarde demais."
A ONU diz que o mundo está enfrentando as piores perdas desde o desaparecimento dos dinossauros, 65 milhões de anos atrás. O ritmo cada vez mais intenso de extinções pode prejudicar as reservas de alimentos e água para a população humana crescente, prevista para chegar a 9 bilhões de pessoas até 2050.
Metade das áreas pantanosas do mundo, 40 por cento de suas florestas e 30 por cento dos manguezais foram perdidos nos últimos cem anos.
"Se a destruição dos ecossistemas continuar no ritmo actual, a humanidade pode perder para sempre, no futuro próximo, a maior parte das riquezas da natureza", disse o ministro do Exterior japonês, Seiji Maehara.

domingo, 19 de setembro de 2010

Será que tenho atitude certa?

Hoje estou feliz.
Uma vez mais, o Yoga me leva por caminhos desconhecidos ou melhor diria, esquecidos. Lugares que quando voltou a caminhar muitas vezes me sinto estrangeira , uma estrangeira na minha própria terra, no meu querido lar, mais que quando me habituo, quando estou dentro, sinto um cheirinho de pão fresco, de bolinho da vovó e me sinto tão bem!.
E é ali onde vou lembrar das coisas que tenho que levar na bagagem da vida, as coisas que realmente vão me ajudar neste caminhar ...

Hoje estava estudando o termo "Mitahara" (Dieta moderada) , ensinado pela maravilhosa professora Alicia Souto (Prof. de Yoga, Argentina ) . Ela fala que Mitahara é "alimentação equilibrada em qualidade, quantidade e atitude", e é muito necessário seguir para desenvolver uma melhor pratica de Yoga e todos seus benefícios.
Isto e tão fácil de ler, mais tão difícil de digerir:

Alimentação equilibrada em qualidade: me perguntou, o que estou comendo?
Alimentação equilibrada em quantidade: Quanto estou comendo?
Alimentac. equilibrada em atitude: Como estou comendo? que atitude tenho na hora de me alimentar, que atitude tenho com minha mãe natureza que me fornece TODOS os alimentos necesarios para ter boa saúde e vida longa.

Nesta palavrinha: ATITUDE...e tão importante parar, meditar, pensar e repensar nisto...verdadeiramente tenho atitude certa com meu alimento? E é aqui que entro na minha terrinha esquecida, para responder e para determinar o que está correto ou não na minha vida...se realmente estou seguindo o caminho certo, ou simplesmente estou deixando de lado as coisas verdadeiramente importantes, pelas que são simplesmente superficiais e banais.

Fica a pergunta no ar....para quem quiser mergulhar um pouquinho neste conhecimento e sabedoria trazido por uma das jóias das culturas ancestrais do nosso querido planeta.

Namastê

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Entrevista no blog da Sonia Hirsch

E com muita alegria que estou passando esta entrevista para vocês que está sendo publicada no blog Deixa Sair: http://www.soniahirsch.com/

Aqui estou colocando ela na sua totalidade...mais não deixem de visitar o seu blog que é ponto de referencia para boa saúde e consciência também.
Namastê

Perguntas: Deixa sair
Respostas: Silvia Salas

"...dúvidas que muita gente tem, e que realmente são deixadas de lado porque não é de interesse econômico que as pessoas saibam este tipo de informação..."

O que você considera serem os piores ingredientes usados na indústria de alimentos?
A Indústria, nos dias de hoje, lamentavelmente, faz uso de muitos ingredientes que são a causa direta de muitas doenças e desarmonias nas pessoas. Começaria pelo açúcar refinado, xaropes de glicose e frutose, gorduras hidrogenadas e os aditivos químicos. Nesta última categoria, estariam os aromas artificiais, conservantes, estabilizantes, corantes químicos artificiais, edulcorantes artificiais, umectantes e antiumectantes, antioxidantes e espessantes. E importante também esclarecer que a Indústria se protege dizendo que usa quantidades permitidas pela lei, mas se você somar a quantidade que se ingere em 10 produtos que a pessoa coma por dia, ou até mais, essa quantidade permitida se excedeu e haverá algum tipo de repercussão na pessoa a curto ou longo prazo.

Como vê a presença de açúcar e farinha na alimentação diária?
Péssima, e uma pena que a Indústria tenha se esquecido da saúde de seu principal “cliente”. Praticamente, ela está intoxicando a vida dos consumidores, por uma questão econômica e prática. O açúcar refinado eu não consideraria como alimento, já que ele em vez de nutrir, desnutre e traz conseqüências drásticas à saúde como câncer, diabetes, inflamações, infecções, entre outras. Por outro lado, a farinha de trigo refinada é um alimento com índice glicêmico muito elevado, similar ao açúcar, o qual também traz conseqüências terríveis ao nosso corpo. Segundo o biólogo Otto Heinrich W. (recebeu premio Nobel de medicina), “O metabolismo dos tumores cancerosos é amplamente dependente de seu consumo de glicose”. Alem disso, ambos os produtos estão expostos a um refinamento onde são usados ácidos e produtos químicos para que o produto fique bem branco e refinado.

Por que as barras de cereais em geral não são boas?
É uma ótima pergunta. Muita gente consome barrinhas de cereais porque acha que é um produto saudável, ou pelo menos isso é o que diz o rótulo da caixinha, com uma foto de uma pessoa feliz e saudável. A questão está nos três ingredientes principais: geralmente, essas barrinhas são fabricadas com flocos de arroz, xarope de glicose ou frutose e/ou farinhas diversas. Estes três elementos elevam o índice glicêmico muito rápido (caso a pessoa coma a barrinha quando sente fome) e não oferece nutrientes consideráveis. Além disso, muitas vezes têm uma carga muito grande de aditivos químicos, como aromas artificiais, estabilizantes e acidulantes. E ainda mais, como bônus, muitas delas têm uma cobertura de chocolate, com base de gordura vegetal hidrogenada. Então, na próxima vez que quiser consumir uma barrinha, é melhor pensar duas vezes.

Até onde vai o uso oculto dos derivados da soja na indústria de alimentos?
A soja é um alimento muito usado na cultura oriental faz muitos milênios. É um alimento completo, que fornece nutrientes como proteínas, minerais, antioxidantes, e produzem efeitos benéficos a saúde, e por isso, é denominado também um alimento funcional. Mas nas últimas décadas a soja vem sendo utilizada de varias formas, nem sempre ideais, entre elas: proteína hidrolisada de soja, proteína isolada de soja, proteína concentrada, soja texturizada, cujo processamento é feito com adição de ácidos, químicos e álcalis. Estes subprodutos da soja são os que mais se usam nos produtos alimentícios com a função de melhorar a textura, aumentar o nível proteico e ser agente de recheio em vários produtos. Os alimentos que levam estes ingredientes vão desde barrinhas de cereais a frios em geral (derivados cárneos), produtos lácteos, chocolates, bolachas, biscoitos, bolos, enfim... 90% dos alimentos industrializados contêm soja.

E vamos levar em conta que consumir esses produtos da soja, na maioria das vezes geneticamente modificada, também prejudica o meio ambiente.

Quais seriam as melhores e piores gorduras para uso diário?
Sempre começando pelo que é bom, as melhores gorduras estão no azeite de oliva, com gorduras monoinsaturadas, e óleos de canola e linhaza, que contribuem como uma boa fonte de Omega 3. As piores gorduras são as gorduras vegetais hidrogenadas, gorduras vegetais parcialmente hidrogenadas e gorduras vegetais interestificadas (usadas atualmente na maioria das margarinas). Além disso, as gorduras animais como pele de aves e gordura de porco e boi, se consumidas em excesso podem prejudicar a saúde. Ter cuidado com os produtos que levam gorduras “não saudáveis” ocultas como: derivados lácteos (queijos processados como requeijões e madurados), bolachas recheadas, bolos prontos frescos ou industrializados (inclusive os que vendem nos supermercados sem cobertura nem recheio), batatas fritas ou comida gordurosa e frios como salame, mortadela, patê, etc.

O que são nitritos e nitratos? Qual o efeito deles na nossa saúde?
Os nitritos e nitratos são adicionados às carnes processadas com a finalidade de preservar os produtos atuando como agentes antimicrobianos, em especial, para inibir o crescimento e produção da toxina Clostridium, alem de conferir cor e sabor aos produtos. Mas, apesar de ter uma função boa no alimento, o consumo desses produtos em excesso pode levar a sérias complicações de saúde pela formação de substâncias carcinogênicas, mutagênicas e teratogênicas, ou seja, maior possibilidade de desenvolver câncer e outras doenças graves.

Estes sais eram usados na antigüidade, quando não se tinha um sistema de refrigeração adequado para conservar as carnes e seus subprodutos, e também eram produtos que se consumiam em climas muito frios e onde havia falta de carne em certas temporadas. Realmente, acho um pouco absurdo o consumo de embutidos no Brasil, um país com tanta diversidade de alimentos, climas cálidos e muita variedade de carnes frescas.

É importante pensar um pouco mais no que estamos consumindo dia a dia, e ver se nos estamos realmente nutrindo ou apenas gerando doença.

Silvia Salas atualmente é terapeuta ayurveda em SP e trabalha com conscientização alimentar. Jajá voltamos com ela. Valeu, Silvia!

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Palestras alimentação consciente


Com muita alegria, estou apresentando uma palestra e um work shop que será realizado no espaço ATMAM com o tema: Alimentação Consciente e Integral, desvendando as cortinas obscuras do passado,com um olhar optimista e de esperança para o futuro, a través da nossa actuação AGORA. Ate lá.

Onde vamos parar?

Depois de mais de um mês, voltou a compartir algumas experiências e pensamentos que vem na minha mente como presentes do criador.

Estava lendo no site do Instituto Akatu, site relacionado com o consumo consciente, a seguinte frase: "Neste momento nós estamos consumindo aproximadamente trinta porcento a mais do que o mundo pode renovar, seja em ar limpo água potável, terra agricultável e absorção de resíduos, isto quer dizer que nós estamos tirando do cheque especial do planeta. Um cheque especial que tem uma taxa elevada,porque o que se tira, não volta" (Fonte World Watch Institute, USA)

E depois de ler isto, realmente fiquei chocada. Cai na real, foi como se nesse momento um raio caise na minha casa, e percebi, o que está acontecendo, e o que estou fazendo para ajudar a piorar essa situação ou pior ainda, o que não estou fazendo para melhorar a situação.

Estava justamente tomando um inofensivo suquinho de caixinha (embalagem tetra pack), quando parei, e pensei para mim mesma, o que é isto? o que estou fazendo, ao jogar no lixo esta caixinha onde vai parar..quanto foi necessário de papel, alumínio, plástico para poder fabricar esta caixinha, realmente estão usando material reciclável? e a tinta..usada na impressão da caixa, de onde vem?, quantas substancias químicas tiveram que criar para pintar uma fruta saborosa, com óptima aparência de frescura e qualidade na caixinha? e nos dar a aparência que é um suco fresco, e não uma polpa congelada, misturada com aromas idênticos ao natural (e a mesma coisa que aroma artificial, não se deixem enganar), ácidos, corantes e estabilizantes.....muitas perguntas e nenhuma resposta...

Realmente, a situação não da para mais.

E necessário fazer alguma coisa...JÁ

E uma realidade presente em todo aspecto: produtos de limpeza,de asseio pessoal,roupa, sapatos,eletrodomesticos, em fim, a lista não termina, mais como sempre tem que começar por algum lugar, vamos na parte de alimentação nas vezes que sente fome e está na rua ou trabalho, onde o ideal seria não comprar mais produtos industrializados:

- Fazer sucos de fruta e levar consigo numa garrafinha (obviamente não jogar fora a garrafa, senão lavar e usar mais vezes)Também levar consigo agua e outras bebidas.
- Fazer ou Comprar bolachas em pacotes grandes, e viajar com uma sacolinha reutilizável com algumas bolachas
- Levar frutas secas, frutas frescas e nozes no bolso, para matar a fome, também é uma boa opção para não ter que comprar tantas coisas que só vão contaminar mais o seu corpo e o ambiente

O mais importante e usar a imaginação para preparar o que quiser em casa, e levar consigo... e assim, não judiar mais da nossa querida mãe, nossa casa, nossa terra.