quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Mensagem de uma abóbora

Namaste!
Sou muito grata ao universo por ter este meio de com partilhar informação, ideias e mensagens sobre os alimentos e o ato sagrado de alimentar se, e por isso, quero lhes falar de uma mensagem que me foi enviada nestes dias, quando estava cozinhando e achei muito importante com partilhar.


Estava como de costume cozinhando com muita alegria e tentando prestar muita atenção as ações que ia fazendo, como lavar algum vegetal, ou secar alguns pratos, em fim... e depois de escolher os vegetais que ia cozinhar esse dia, peguei uma abobora, dessas bem amarelas, só que era um pedaço, não era inteira...mais mesmo assim precisava cortar para poder levar a panela e esquentar, e no momento em que estava cortando com a faca de aço inox, tive a sensação que estava me falando, e me dizia o seguinte:

"Por favor irmã, não continue, sinto muito medo...de fato estou aterrorizada, fui maltratada desde que saí de casa (a terra), estou sendo levada aqui e lá, e ninguém me falou o que ia acontecer, ninguém me pediu permissão para ser levada a lugares estranhos, não sei o que acontece, já senti essa faca antes, e agora novamente a sinto, tão forte na minha pele que sinto morrer com esta tortura sem fim...por favor irmã, me ajude a entender que estou muito triste e desesperada, o que está acontecendo? "

Em fim, imediatamente, senti que era o espirito da abobora me falando....eu sei que isto pode parecer um pouco ilógico a alguns...ou a maioria dará risada disto, mais não hesitei em colocar aqui no blog, porque achei muito serio e também acredito que tem muita gente que sente o espirito dos vegetais ou animais, porque mesmo que a abobora tenha sido cortada, ela ainda continua viva, ainda tem inteligencia, ainda tem celulas se reproduzindo..e claro...é possível que até tenha aurea (não tenho certeza disso), mais a questão é que foi muito forte essa mensagem e parei para pensar o seguinte:

Com que direito as pessoas colheitam os frutos que a Mãe terra nos proporciona sem dar nem sequer um obrigado?

Com que direito os supermercados cortam estes vegetais, higienizam com produtos químicos, embalam de uma forma mecânica como simples objetos nem sequer pedir permissão para fazer isso?

Com que direito compramos esses produtos embalados em sacos plasticos  para logo levar a nossa casa e lavar cortar, fritar, comer sem sequer nos lembrar que é o presente mais valioso que Deus nos ofereceu esse dia, porque com esse alimento estou construindo meu corpo, minhas celulas e minha inteligencia?



E a partir de esse dia, antes de cozinhar agradeço ao alimento que vai se sacrificar para me alimentar, que vai cumprir seu Darma (missão), mais de uma forma digna e respeitosa, como fazem até agora muitas culturas milenares, mais que ao passar o tempo está ficando no esquecimento com a globalização e a mc donalização do mundo.

Um ótimo final de semana e tomara possam se comunicar com esse alimento sagrado que está com vocês todos os dias: agradecendo, respeitando e louvando antes de ser parte de nosso querido Ser.

2 comentários:

  1. Desculpa, mas esse radicalismo de fato é risível e mostra como os extremos são perigosos: de um lado, gente intoxicada de glúten, açúcar etc., gente violenta que realmente não agradece ao alimento que ali lhe chegou... do outro lado, gente que ouve o espírito de abóboras e se rende a um culto que beira a rituais psicóticos. Além disso, cuidado com o português, por favor, você é formada e dá palestras: não é áurea, é aura... Áurea é um nome. Não confunda mais com mas, pelo amor de Deus (ou da ábobora)... Isso só para citar algumas aberrações linguísticas. Espero que o espírito dos gramáticos não atormente você... rsrs

    ResponderExcluir
  2. Vc teve uma sensação de ter ouvido, mas não ouviu!!! Essa história é uma das mais absurdas que ja ouvi, ter uma sensação que ouviu não é a certeza que ouviu, coisas desse tipo não é difícil acontecer, se vc coloca uma coisa na cabeça certamente vai ter suas consequências, é como assistir um filme de terror e durante a noite ficar escutando passos pela casa!!! Ter ficado prestando atenção nos alimentos pode ter gerado esse tipo de situação... Não é o alimento é vc!

    ResponderExcluir